Ultra Sierra Nevada – 103km

Uma das dificuldades deste trail é o facto do desnível positivo ser bastante superior ao desnível negativo, ou seja, sobe muito mais do que desce. Começa na cidade de Granada (650m) e termina na estância de Pradollano, no cimo da Serra Nevada (2.200m), com uma passagem pelos 3.100m.

Outra característica que não ajuda os atletas é o habitual calor, normalmente acima dos 30 graus, no entanto este ano os termómetros subiram mais do que é aceitável (vaga de calor nesses dias em todo o sul de Espanha) e passaram os 45 graus, tornando o ambiente quase irrespirável.

 

Nesta aventura tivemos o prazer de ser acompanhados pelas nossas amigas Sara Santos Silva e Rosário Martins (participaram no Trail Sierra Nevada – 63km) e também pela Alice Oliveira (mãe da Susana e uma das nossas principais admiradoras).

Viajámos de carro no dia 13 de julho e ficamos instalados num apartamento muito agradável no centro histórico de Granada. A temperatura nesse dia subiu até uns inacreditáveis 46 graus!

 

No dia seguinte, para além de levantarmos os dorsais, tentámos refugiar-nos o máximo possível do calor que continuava a sentir-se. De tarde, só o simples facto de caminhar na rua tornava-se desesperante.

Quando chegou à meia noite, hora de início da ultra, já estavam uns “agradáveis” 30 grau.

A prova teve início em Granada e os primeiros 5km desenrolaram-se dentro da cidade, mais parecia um urban trail, tantas foram as escadas e ruelas que tivemos de subir e descer. Foi uma autêntica visita guiada aos principais locais turísticos de Granada.

Até aos 47km o percurso era bastante rolante com o desnível ainda equilibrado. O objetivo de todos os atletas era aproveitar a noite para fazer o máximo de kms possíveis porque depois de amanhecer o calor iria tornar a progressão bastante difícil.

Dos 47km até aos 70km, apesar do maior declive das subidas, a dificuldade foi o calor. O percurso é muito exposto ao sol e não havia vento.

Depois dos 70km foi o desespero. Durante quase 25km não paramos de subir (+2.100m) e o termómetro nos 40 graus. O único pensamento possível era de não parar, caso contrário era difícil de retomar.

A meta estava situada na estância de Pradollano e o ambiente era bastante agradável, com o convívio entre os atletas das 3 provas que decorriam em simultâneo.

A nossa classificação:

– Susana: 4ª feminina – 2ª Vet1

– Telmo: 9º masculino – 5º Vet1

Apesar do percurso estar bem sinalizado e os voluntários serem sempre muito atenciosos nos abastecimentos, houve vários aspetos que falharam e que terão ser melhorados nas próximas edições. Quando pedíamos informações, antes ou depois da prova, ninguém nos conseguia ajudar, havendo total falta de coordenação, também a qualidade e variedade dos abastecimentos era muito fraca.

No final o nosso sentimento era de felicidade e satisfação. Apesar das dificuldades adicionais que o calor nos proporcionou, conseguimos mais uma vez concluir o Desafio a que nos tínhamos proposto.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *